23 junho 2021

Governo quer tirar trabalhadores dos fundos de pensão e transferir patrimônio aos bancos

Objetivo é a transferência para a gestão de bancos e seguradoras de mais de R$ 1 trilhão acumulado pelos 290 fundos de pensão fechados existentes.

Por José Ricardo Sasseron e Marcel Barros

Sob a gestão do banqueiro Paulo Guedes, o Ministério da Economia vem atuando para esvaziar os fundos de pensão fechados, aqueles patrocinados por empresas privadas, estatais e órgãos públicos para seus empregados. O objetivo é facilitar a transferência, para a gestão de bancos e seguradoras, de mais de R$ 1 trilhão acumulado pelos 290 fundos de pensão fechados existentes. Sessenta e três por cento deste patrimônio pertencem aos fundos patrocinados por empresas estatais e entes públicos.

O negócio é apetitoso. Os bancos cobram uma taxa de administração média de 1,25% ao ano sobre o patrimônio de seus planos de previdência privada, os VGBL e PGBL. A gestão do R$ 1 trilhão dos fundos fechados lhes renderia R$ 12,5 bilhões ao ano, a uma taxa de administração de 1,25%.

A Reforma da Previdência de 2019, proposta por Bolsonaro e aprovada pelo Congresso Nacional, deu um passo decisivo a favor dos bancos. O poderoso lobby do sistema financeiro conseguiu incluir na Constituição Federal a possibilidade de administrar os planos de previdência dos servidores públicos, que tendem a ser os maiores do país em alguns anos. Para concretizar este passo, falta apenas alterar as leis complementares 108 e 109 de 2002, que regem a previdência complementar. É o que está sendo gestado pelo Governo.

:: Bancos lucram com a previdência privada. Saiba como se defender ::

As alterações, no entanto, não se restringem aos planos de previdência dos servidores. O governo aproveita para atacar também os planos patrocinados por empresas públicas ou de economia mista – caso da Previ, Funcef, Petros, Postalis e outros, que são os maiores em patrimônio.

Dentre as maldades em ebulição, está a possibilidade de os participantes optarem pelos fundos de pensão existentes ou por outros que sejam oferecidos por bancos aos quais as empresas patrocinadoras tenham aderido. Querem abrir a porteira para os bancos entrarem, em prejuízo dos participantes, que não teriam qualquer interferência na gestão de seu patrimônio, da sua aposentadoria e de seus direitos.

O patrocinador público poderia, ainda, levar o plano de previdência de seus funcionários para uma entidade patrocinada por empresa privada, que não seja obrigada a cumprir a paridade de representação nos órgãos de governança com determina a Lei Complementar 108. Neste caso, a empresa patrocinadora teria a maioria do conselho deliberativo e decidiria tudo conforme os seus interesses, podendo inclusive mudar regulamentos, contribuições e os direitos dos participantes à sua revelia.

Hoje, o que garante algum grau de proteção aos participantes é a gestão paritária conquistada a duras penas em fundos como a Previ e Funcef, onde os trabalhadores elegem a metade da diretoria e dos conselhos deliberativo e fiscal. É esta proteção que o atual governo quer destruir, para facilitar a destruição dos planos de previdência e a transferência de centenas de bilhões de reais para a gestão dos bancos.

Não é só o governo que ataca os direitos dos trabalhadores. A proposta de mudança tem origem no IMK (Iniciativas de Mercado de Capitais), autodenominado grupo de estudo composto por representantes do Governo, da Federação Brasileira dos Bancos, da B3 e de outros interessados no rico patrimônio dos trabalhadores. Infelizmente, entidades representativas de fundos de pensão que se mantêm com recursos dos participantes ativos e aposentados também colaboram com esta inciativa.

O que menos interessa a eles é que os trabalhadores tenham uma aposentadoria digna. E o que mais interessa é que os trabalhadores não participem da gestão de seu patrimônio.

*Marcel Barros é vice-presidente da Anapar, foi diretor da Contraf e diretor de Seguridade da Previ.

*José Ricardo Sasseron foi presidente da Anapar, diretor do SEEB São Paulo e diretor de Seguridade da Previ

34 comentários:

Rosalina de Souza disse...

Contraf-CUT solicita reunião com novo presidente da Cassi.

Objetivo é ressaltar a importância e restabelecer a mesa de negociações entre as partes para garantir a manutenção da Cassi e a melhoria de seus serviços.

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) enviou nesta quarta-feira (16) um ofício ao novo presidente da Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil (Cassi), Clóvis de Castro Júnior, solicitando o agendamento de reunião, em formato eletrônico.

“Ele acabou de tomar posse no cargo. Além de fazermos as devidas apresentações, vamos apresentar o cenário das relações entre as entidades representativas da categoria e dos usuários da Cassi. Também queremos transmitir nossas posições referentes aos planos de assistência à saúde dos colegas funcionários do Banco do Brasil”, explicou o coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), João Fukunaga.

O ofício ressalta que “a Cassi é um patrimônio inestimável dos funcionários do Banco do Brasil e de seus dependentes” e que os trabalhadores têm “a certeza da necessidade da manutenção de suas atividades e da continuidade das melhorias de seus serviços, sempre em atenção aos cuidados da saúde dessa comunidade”.

“Queremos destacar a importância dos canais de relacionamento entre as partes, que possibilitam a garantia dos debates de interesse dos funcionários, usuários e seus dependentes”, disse o coordenador da CEBB. “Esperamos que a reunião seja realizada assim que possível, para que possamos reestabelecer as mesas de negociações. Tão logo ela seja realizada, os funcionários e usuários serão comunicados”, concluiu.

FONTE: https://contrafcut.com.br/noticias/contraf-cut-solicita-reuniao-com-novo-presidente-da-cassi/

Rosalina de Souza disse...

ENTIDADES BANCÁRIAS COBRAM QUE BB RETOME MESA SOBRE INCORPORADOS.

Representantes dos empregados do Banco do Brasil cobraram do novo presidente do Banco do Brasil, Fausto Ribeiro, a retomada da mesa de negociação sobre os bancos incorporados pelo BB, como Nossa Caixa, BESC, BEP e o BNC. A cobrança foi feita durante reunião da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB) com Ribeiro, no último dia 9.

Entre os demais assuntos que foram tratados no encontro, como a vacinação dos empregados do BB, a representação dos trabalhadores entregou um ofício com questões de interesse dos funcionários provenientes de bancos incorporados pelo BB, reforçando a importância da via negocial para a solução dos conflitos trabalhistas.

O ofício lembra a mesa de negociação sobre questões de bancos Incorporados está prevista na cláusula 58º do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) vigente e que a pauta de reivindicações foi entregue ao Banco do Brasil no dia 30/09/2020, mas, “apesar das diversas promessas do banco em nos dar a devida reposta das reivindicações, isso nunca ocorreu de fato, havendo apenas duas reuniões em 12/2020 que restaram infrutíferas”, diz o ofício.

“Existe uma ação judicial do MPT (Ministério Público do Trabalho), da qual a Contraf-CUT é assistente, sobre a inclusão dos funcionários de bancos incorporados no plano de Saúde da Cassi. Acreditamos que a negociação é o melhor caminho para Cassi, pois uma decisão judicial, se não observadas inúmeras peculiaridades da Cassi, pode desequilibrar o plano de saúde e prejudicar a todos. Insistimos, desde 2009, em uma solução negociada para os bancos incorporados. Muito se avançou nas questões trabalhistas, mas ainda falta o plano de saúde”, explicou o dirigente sindical e coordenador do CEBB, João Fukunaga.

Fonte: Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região

Miro disse...

https://clickpetroleoegas.com.br/fundo-arabe-mubadala-assume-divida-bilionaria-da-invepar-e-passa-a-controlar-o-metro-do-rio-de-janeiro/

INVEPAR, mais um mico... só prejuízos.

Trader anônimo disse...

(Colamos no blog do Dr. Medeiros)

[...] A Previ acaba de anunciar um superávit acumulado de vinte e um bilhões. Um belo resultado quadrimestral. Que dependeu muito da melhora da bolsa de valores, especialmente das ações da Vale.

Dr. Medeiros, colegas de chat,

Inicialmente, gostaríamos de registrar que a informação acima é equivocada, embora bem intencionada. Na realidade, a informação acima é um equívoco pois comenta o "preço de mercado". Entretanto, o "preço de mercado" equivale ao "valor fundamental" apenas no longo prazo, conforme a literatura técnica de forma pacífica observa.

Por outro lado, após estudo profundo de obras do economista francês André Orléan chegamos ao seguinte resumo:

(1) A Bolsa de Valores não financia a acumulação;
(2) A Bolsa de Valores não serve para avaliar os títulos negociados;
(3) O comportamento mimético impera na Bolsa.

Não obstante, concordemos com os itens (1) e (2), discordamos do item (3). Neste sentido, demonstramos que a Bolsa de Valores equipara-se a uma pirâmide financeira. Consequentemente, a Bolsa está ligada ao tempo; em outros termos, a Bolsa vai deixar de existir.

Por outro lado, o economista francês Francois Chesnais sustenta que o "fundo de pensão" é uma escolha política; escolha em benefício dos mercados financeiros. Por seu turno, após estudo profundo concluímos que os prejudicados pela Bolsa são o trabalhador (ativo, aposentado, pensionista) e o pequeno acionista. Tal prejuízo se equipara a uma transferência de riquezas destes dois grupos para o sistema financeiro, mormente para os proprietários materiais da poupança concentrava coletiva (executivos do fundo de pensão). Tal transferência de riquezas ocorre por meio da concentração financeira e da centralização financeira, respectivamente. Quanto, ao título "Vale" logramos demonstrar que o valor fundamental atual deste é próximo de zero.

Embora tardio, congratulamos-nos com o casal pela longa e profícua união.

goulart disse...

Cara colega Rosalina, este artigo/texto deveria ser postado no facebook, devido a sua real importância, pois envolve os destinos financeiros da Empresa (Previ) e outros Fundos de Pensão. colega aposentado do Parana, tudo de bom para voce...

Rosalina de Souza disse...

CÂMARA FEDERAL QUER EXPLICAÇÃO DO BANCO DO BRASIL SOBRE FECHAMENTO DE AGÊNCIAS.

Após ampla divulgação sobre os prejuízos que o fechamento de várias agências do Banco do Brasil vão provocar, o presidente da comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara, deputado federal Hildo Rocha virá pessoalmente a Alagoas nesta segunda-feira, dia 28. Acompanhado do presidente da AMA, Hugo Wanderley, prefeitos e representantes da bancada federal alagoana, CNM , entidades de classe e sindicato dos Bancários, o parlamentar fará visita técnica as agências do Banco do Brasil que foram fechadas em Alagoas.

A Comissão, com subscrição dos Deputados Jorge Solla, Elias Vaz e Leo de Brito também aprovou a realização de Audiência Pública para debater o fechamento de agências do Banco, que acontecerá, logo após a visita a cidade de Maribondo, dia 28, às 12 horas, na cidade de Dois Riachos, Sertão.

Esse debate importante começou após reivindicação do presidente da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA) à Confederação Nacional a ao Congresso, através da bancada federal do Estado, levando em consideração o prejuízo para as comunidades afetadas.

Além da AMA, o presidente da comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara, deputado federal Hildo Rocha convidou a Superintendência do Banco do Brasil em Alagoas, Associação Comercial, Federação do Comércio, Câmara de Lojistas locais, Sistema S e sindicato dos Bancários.

O presidente da AMA, Hugo Wanderley diz que o fechamento “é um retrocesso. O banco deve cumprir o seu papel social. O fechamento das agências e postos é ruim para economia local e durante pandemia estimula ainda mais a aglomeração e a circulação de pessoas entre os municípios, quando no momento o isolamento social é peça fundamental para evitar o contágio. Diz o gestor que também se preocupa também com a segurança do cidadão.

Segundo mapeamento preliminar feito pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf), serão pelo menos 160 unidades em todo país, sendo o Nordeste a região mais afetada.

Fonte: Correio Notícia

WILSON LUIZ disse...


O MEDÍOCRE E O ESTADISTA

Disse nosso Napoleão em 7 de janeiro, dia em que o Congresso dos Estados Unidos confirmou a vitória do democrata Joe Biden sobre o republicano Donald Trump, seu ídolo e senhor:

‘’então lá se votou e potencializou um voto pelos correios por causa da pandemia, e houve gente que votou três, quatro vezes, mortos votaram, foi uma festa’’.

Até aquela data, nosso hospício ainda não havia telefonado cumprimentando o Presidente eleito, parece que fomos dos últimos a fazê-lo, ao lado de ‘’democracias’’ como a China, Rússia e Coreia do Norte.

Não obstante a descortesia e até ofensa, o Presidente americano nos doou três milhões de vacinas da Janssen, aquela que é dose única e, portanto, equivale a seis milhões da Pfizer; ontem os imunizantes chegaram ao aeroporto de Viracopos, e já a partir da próxima semana poderão ser injetadas nos braços de três milhões de felizardos. Até o momento,é a maior quantidade de vacinas doadas a um único país.

A atitude do Presidente Biden evidencia a diferença entre um medíocre e um estadista. Deixou de lado suas diferenças com nosso Napoleão e, pensando no bem dos cidadãos, tanto do Hospício Brasil quanto dos Estados Unidos, seguiu o que disse o presidente da Organização Mundial da Saúde, ‘’enquanto todos não estiverem seguros, ninguém estará’’.

Não nos iludamos com Biden, que tem o carisma de uma alface murcha e parece aquele tiozão boa-praça e inofensivo. Ele é mais firme que o fanfarrão Trump, que era um gatinho ronronante que deixava a Rússia fazer o que queria. Biden já estabeleceu uma linha vermelha para Putin que, se ultrapassada, provocará retaliações dos Estados Unidos.

GOLEADA

Vírus 140 X 0 interesse popular na copa américa.

O ÚLTIMO CAVALEIRO

Caiu o ministro anti-meio ambiente, Ricardo Salles. Era o último dos quatro cavaleiros do apocalipse que foram os piores ministros que o Hospício já teve, os outros foram Weintraub(educação), Araújo(relações exteriores), e Pazuello(saúde). Já vão tarde.

Unknown disse...

https://www.youtube.com/watch?v=RBWWjfGTsDA

AINDA BEM!
- vaCHINAvac escapei por sorte.
- Oxford, dei uma de migué.
- em 03.06 tomei Pfizer por ter +60 +122
SEMPRE PREFERI MEU XAROPE PingaLimãoMel.
CORONAVAC... o que há de bom?
- veio da China, mãe do vírus.
- Doriana empurrou com TODA a PRE$$A.
- eficácia de 45% = nada
- não protege das novas cepas.
- USA e U.E. recusam e não aceitam receber quem a tomou.
- ninguém quer e ironizam quem a refuga.
OBS:
- hahh mais as mortes em idosos com mais de 70 anos caiu.
Óbvio:
- os 5% NÃO ASSINTOMÁTICOS, já morreram.
- outros 95% que não morrem mais pela velha cepa, tanto faz ter vacinado ou não com a CORONAVAC.
- MAS as novas cepas pedem a PFUZER, OXFORD, MODERNA, etc.
...

WILSON LUIZ disse...


UMA VEZ MEDÍOCRE, SEMPRE MEDÍOCRE

O Hospício Brasil já recebeu as 3 milhões de doses da vacina da Janssen*, que vão imunizar o mesmo número de brasileiros. Nosso Napoleão, por obrigação moral, deveria ter telefonado ao Presidente Biden para agradecer a maior doação já feita pelos Estados Unidos a um único país; até o momento, não houve notícia de que o tenha feito(teria sido ordem de seu eterno ídolo, Trump?). A única coisa parecida com agradecimento foi uma fala casual do ministro da saúde quando do recebimento das doses, no aeroporto de Viracopos.

Ele já cometeu uma indelicadeza, ao não agradecer à Venezuela a doação expontânea de oxigênio, que salvou vidas em Manaus. Seria demais ele telefonar ao presidente Maduro, por motivos ideológicos, mas poderia ter, ao menos, mandado uma mensagem através do ministério da saúde por e-mail, ou carta, telex, telégrafo, correio a cavalo, sinais de fumaça na fronteira amazônica.

*Os colegas que vagam pelos pontos de vacinação em busca da Pfizer(plataforma RNA mensageiro) devem continuar a fazê-lo, não se iludam com a Janssen que, apesar de ser uma única dose, utiliza a plataforma adenovírus, a mesma da AstraZeneca/Oxford.

ATENÇÃO, PIXEIROS

Começou. O sequestro-relâmpago não é mais utilizado para saques em caixas eletrônicos, mas para limpar as contas das vítimas que tenham o aplicativo PIX, mediante transferências, algumas de valor expressivo. Já escrevi que ia dar ruim quando do lançamento desta ‘’facilidade’’, nunca a usei, utilizo apenas o home-banking do BB, que é, praticamente, 100% seguro, já que a conta só pode ser acessada no seu computador previamente cadastrado,
qualquer tentativa de invasão em outro aparelho é bloqueada.

MAUS disse...

"Marco Antonio Orlando disse..."
- "Previ condenada"

Escreveu mas não disse nada.

Globo, uol, folha, antagonistas, são todos joio do mesmo saco.
- notícias vazias e replicadas.
- qualquer referência a esses sites parece mais propaganda enganosa para apenas contabilizarem mais um click.
- enquanto a notícia for incompleta é FAKE-NEWS.

Cadê o link do Tribunal, Nr. da Ação=processo?

... funcionários antigos, dee ser dos Pré-1997, pré-1973?, quiçá 1822, incluindo a Elizabeth I.

Unknown disse...


SERÁ QUE ALGUM FUNDO passou ileso?

https://www.facebook.com/photo/?fbid=10221801501100072&set=a.10206318898364680

Trader anônimo disse...

Colamos no blog do Dr.Medeiros,

Claro que é palhaçada! Entretanto, o que a maioria dos colegas não consegue perceber é que que se trata de uma palhaçada planejada. O objetivo é ganhar tempo....Quanto mais tempo durar a enrolação mais $$$ perdem os associados do fundo de pensão. Não é coisa simples de entender. Entretanto, colamos 15 (quinze) comentários em nosso blog "bolsafurada.blogspot.com" dia 08/07. Não é uma leitura acessível ao comum dos mortais. Não obstante, sugerimos a leitura dos comentários pelos colegas de chat mais preparados. Daqui alguns dias vamos atualizar os comentários e colar outros que complementam os já colados.

WILSON LUIZ disse...


SOBRE MAJESTADE E MEDIOCRIDADE

A rainha da Inglaterra, Elizabeth II, concedeu a mais alta condecoração civil do país, a Cruz de George*, ao NHS, o serviço público de saúde, que é utilizado até pelo primeiro-ministro.
Frequentemente, vemos membros do governo e da realeza visitando hospitais, incentivando os profissionais da saúde.
*Em quase cem anos, esta é apenas a terceira vez que esta honraria é concedida.

Já aqui, em nosso sofrido Hospício Brasil, não lembro, por parte do Napoleão da vez, qualquer pronunciamento que incentive ou elogie os bravos servidores da saúde ou o SUS.

Mesmo suas menções aos centenas de milhares de mortos pela covid-19 são entremeadas por comentários que causam mais sofrimento a quem perdeu algum ente querido, lembremos alguns:

‘’e daí, não sou coveiro. Lamentamos as mortes, é a vida, vai morrer.’’

‘’não adianta fugir da realidade. Tem que deixar de ser um país de maricas. Lamento os mortos’’.

SUPER-SALÁRIOS - SERÁ QUE, DESTA VEZ, VAI?

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (13) o Projeto de Lei 6726/16, do Senado, que lista quais tipos de pagamentos podem ficar de fora do teto do funcionalismo público. O texto aplica-se a servidores civis e militares, magistratura e detentores de mandato.
No Plenário da Câmara, foi aprovado o substitutivo do relator, deputado Rubens Bueno (Cidadania-PR).
Segundo o texto, 32 tipos de pagamentos são considerados indenizações, direitos adquiridos ou ressarcimentos. Entretanto, há limites em alguns deles, geralmente relacionados ao teto vigente para a remuneração do agente público.
Atualmente, o teto para os servidores federais é de R$ 39.293,32 e existem subtetos para estados e municípios, conforme prevê a Constituição Federal.
Antes, não era possível saber o quê se pagava, porque são tantos tipos de pagamento, e agora vamos impor um limite, acabar com pagamentos a servidores superiores a 100 mil reais”, afirmou Rubens Buenos.

Limites do extrateto
Para certos tipos de pagamentos, o relator fixa um limite para o recebimento de valores a esse título. É o caso, por exemplo, do auxílio-alimentação, limitado a 3% do teto aplicável ao agente. Valores para o pagamento de plano de saúde serão limitados a 5% desse teto. Auxílio-transporte e auxílio-creche para crianças até 5 anos poderão ser recebidos em valores de até 3% do teto para o servidor.
Para diárias e indenização devida em virtude do afastamento do local de trabalho para execução de trabalhos de campo, o valor máximo será de 2% do teto por dia, exceto no caso de moeda estrangeira.

Quanto à ajuda de custo para mudança e transporte, poderá ser pago o valor do preço médio cobrado no domicílio de origem do servidor em mudança para prestação de serviços com essa finalidade, atualizado trimestralmente pelo órgão ou entidade.
Fonte: Agência Câmara de Notícias

Vou fazer uma análise mais acurada, principalmente para ver se vai atingir os super-salários no Banco do Brasil, e os sem-teto da PREVI.

RESOLUÇÃO 23+RIP

A câmara dos deputados aprovou, ontem, o Projeto de Decreto Legislativo 956/18, da deputada Érica Kokay, que susta os efeitos da malfadada resolução 23, que prejudicava os planos de saúde de empresas estatais.

Se o presidente vetar, é quase certo a derrubada do veto pelo parlamento.

MAUS disse...


Alerto a quem está renovando o ES que o Sistema continua inconsistente e suprimindo MC30 e TETO 200k...

A nova configuração do site e suas inconsistências está nos revelando possibilidades de manipulação de dados que nunca se apresentavam antes.

FIP
Margem Consignável 30%

1 - MARÇO 2021:
- R$ 712,49
2 - JUNHO 2021:
- 2.903.22
- 2.299,22 (soma parcelas ES)
= 604,00 (MC30% POSITIVA)

DIAS SE PASSAM E ME CONVENÇO que as mudanças no site permitiram que o Limite e Margem disponíveis estão artificialmente engessados sob a justificativa de “IMPACTO NEGATIVO NA MC30% POR INFLUÊNCIA DA SUSPENSÃO DAS PARCELAS DO ES”.

Contudo na simulação das Renovações não aparece a MC CPRRETA, MUITO MENOS o Limite baseado em 200k.

NÃO É PRUDENTE RENOVAR AGORA, A NÃO SER QUE NA SIMULAÇÃO SE ATINJA O TETO DE 200K

Hoje, o sistema já considerou no saldo devedor de cada ES o pgto das Parcelas do dia 20.07, mas não ajustou a MC30% nem o TETO 200K.

Talvez após 20.07 ou 01.08 a margem e limite se ajustem.

Está difícil manter as considerações amenas feitas há poucos dias.
- quem sabe a supressão da MC30% e TETO 200K seja SELETIVA
- excluindo MC30% de quem renovou 1 ES após a suspensão
- ou considere informações do INSS mesmo não transitar na FIP PREVI.
- alguém sabe se a PREVI considera parcelas ES da COOPERFORTE?

Ab

Unknown disse...


"Quando é que esses dirigentes da Previ, que não tem empatia pelas dificuldades financeiras dos aposentados, vão devolver o BET? Esse benefício pertence a nós. Por que nos tiraram?
Obrigado
14 de julho de 2021 20:29"

Só com pedaladas:
- para amigos o pedal ai para frente
- para os donos a corrente enrosca.

NUNCA TIVE ESPERANÇAS QUE SERÁ DIFERENTE

BOM DIA

CHOVE 19 mm a Oeste do Sul do Mundo
é o melhor índice de todo Julho

OESTE SC e PR são a Capital da Proteína
- chove aqui, aumentam nossos dividendos

Enquanto isso, os crescentes excedentes do PB1 estão longe de serem nossos.

Há 5 anos a curva entre SALÁRIO BRUTO e SALÁRIO LÍQUIDO se descola na base de 10% a.a.
com a verba C800 820 827

TALVEZ O 9 DEDOS TENHA RAZÃO
SE A COVID, SEGUNDO O PLANO DA OMS, APURAR O OCASO PARA 15%, A RESERVA ESPECIAL se consolide em 2022.

AMÉM

Miro disse...

https://contrafcut.com.br/noticias/conheca-as-armadilhas-do-cassi-essencial/

Miro disse...

Tributar grandes fortunas,né?


https://valor.globo.com/financas/noticia/2021/07/19/reforma-tributaria-pode-ter-impacto-de-r-11-bi-em-fundos-de-pensao.ghtml

Trader anônimo disse...

‪WILSON LUIZ‬ disse... (colamos no blog do Dr. Medeiros)

RESÍDUO DO EMPRÉSTIMO SIMPLES

Caro anônimos 15.07 12:59 hs, e 16.07 01:17 hs., como eu notívagos(se for insônia, aconselho a leitura de alguma postagem do trader anônimo, é sono instantâneo).


17 de julho de 2021 02:0

- Caro WILSON LUIZ, colegas de chat,

Consideramos sua manifestação acima bem-vinda e correta. Assim, em atenção a sua solicitação fizemos hoje uma faxina geral no "bolsafurada.blogspot.com" e limpamos todos os comentários anteriores. Em seguida, colamos 19 comentários. Entretanto, desta vez colamos em módulos para tentar facilitar a vida do nosso leitor. Ademais, tais módulos agora são apresentados em tópicos essenciais, básicos e finalmente, as conclusões. Na Introdução procuramos mostrar o objetivo do trabalho, portanto, a leitura desta parte do trabalho deve ser bem atenta. Entre as conclusões, com certeza uma das mais importante é a que apresentamos no Anexo "7". Entretanto, a leitura de tal anexo sem a prévia leitura dos anexos anteriores pode tornar difícil a compreensão da inteligência contida neste. Tanto a Introdução, quanto os anexos foram subdivididas em subitens. Exemplificando, no Anexo "7" temos Anexo "7.1", Anexo "7.2", .... Anexo "7.8". Hoje de noite vou colar os Anexos "5.1", Anexo "5.2" ..... até o Anexo "7.8". Semana que vem, apresentaremos a segunda parte do trabalho. Esta segunda parte, embora tenha aproximadamente o mesmo tamanho desta primeira parte, apresenta aproximadamente 70 % do trabalho. Segue abaixo o Índice da primeira parte. Acreditamos que fizemos a nossa parte. Tentem ler e compreender...


Introdução “1”

Índice:

Introdução

Anexo “1”: conceito de oferta “não-concorrencial” e a ineficiência do “hodierno capitalismo bursátil”

Anexo “2”: a diferença entre “preço de mercado” e “valor intrínseco”

Anexo “3”: os conceitos de “conspiração” e “pirâmide financeira”

Anexo “4”: Nossa contestação à hipótese do “comportamento mimético” no “hodierno capitalismo bursátil”

Anexo “5”: o “hodierno capitalismo bursátil” tem um tempo de vida limitado e objetiva transferir riquezas dos trabalhadores e pequenos acionistas para “determinado capital financeiro”

Anexo “6”: a “preferência pela liquidez” do “hodierno capitalismo bursátil”, equipara- se a uma transgressão da economia produtiva

Anexo “7”: Análise da evolução dos “preços de mercado” e dos “valores intrínsecos” dos títulos de Vale e Petrobras nos últimos 10 (dez) anos.

Anônimo disse...


O INPC de 2021 deve fechar o ano em 10%, mais ou menos. A previ poderia arrumar alguma desculpa para não nos conceder este índice no reajuste de janeiro?

Trader anônimo disse...

Texto 1 (colamos no blog do Dr. Medeiros)

Dr. Medeiros, colegas de chat,

No final do Anexo "7.8" do "bolsafurada.blogspot.com" encontramos os seguintes questionamentos:

(1) Por que o “hodierno capitalismo bursátil” é uma conspiração?

(2) Por que o “hodierno capitalismo bursátil” é uma “pirâmide financeira”?

(3) Por que os preços dos títulos bursateis são extravagantes?

(4) Por que o “hodierno capitalismo bursátil” tem um tempo limite para durar?

(5) Por que o “hodierno capitalismo bursátil” é prejudicial para os trabalhadores e pequenos acionistas?

(6) Por que a cada dia que passa os trabalhadores e pequenos acionistas transferem cada vez mais riquezas para “determinado capital financeiro”?

(7) Por que os títulos de Petrobras e Vale tem atualmente “valor intrínseco” de 0 (zero)?

(8) Quais são os sinais de que o “hodierno capitalismo bursátil” chegou ao seu fim?

As respostas para algumas das perguntas acima vamos obter após complementarmos o presente trabalho disponibilizando a segunda parte deste. Entretanto, para alguns questionamentos já encontramos parte das respostas em alguns anexos desta primeira parte. Este é o caso dos questionamentos (2) e (7).

Assim, a seguir iremos apresentar a indicação de onde se encontram as respostas para os questionamentos (2) e (7)

Questionamento (2)

Anexo "4.1"

[...] Entretanto, a leitura e interpretação do fragmento de texto acima fortalecem nossa sustentação de que o “hodierno capitalismo bursátil” se equipara a uma “pirâmide financeira” e/ou uma “conspiração”. Assim, o “[...] compromisso implícito por parte da comunidade financeira como um todo de manter a totalidade dos títulos no longo prazo” significa que àqueles que mantêm a “[...] totalidade dos títulos no longo prazo” carregam um pesado fardo. Deste modo, se encontram àqueles participantes do mercado que “mantêm em carteira” títulos que têm por “valor intrínseco” valores bem inferiores àqueles do “preço de mercado”. Neste sentido, devemos relembrar que prevalece nos mercados bursateis uma oferta “não-concorrencial”. Entretanto, tal “oferta não- concorrencial” contraria “hipótese dos mercados eficientes”.

Trader anônimo disse...

Texto 2 (colamos no blog do Dr. Medeiros)

Anexo "4.2"


[...] Antes vimos que o “hodierno capitalismo bursátil” pode ser equiparado a algo que tem um tempo limite; em outros termos, tal observação permite-nos concluir que o “hodierno capitalismo bursátil” pode ser equiparado a uma “pirâmide financeira”, pois as “pirâmides financeiras” têm um tempo de vida limitado. Em contraste, o “comportamento mimético” sugere algo sem limites, algo sem comprometimento não apenas com o tempo, mas igualmente com o “valor intrínseco”. Ademais, a afirmação de que “[...] um compromisso implícito por parte da comunidade financeira como um todo de manter a totalidade dos títulos no longo prazo” permite-nos sustentar que o “hodierno capitalismo bursátil” se equipara a uma instituição social que eventualmente terá um fim.

Anexo "5.1"

Assim, não nos parece equivocado chegarmos às seguintes conclusões:

(1) tanto o “regime de medidas econômicas moderadas”, quanto o “hodierno capitalismo bursátil” podem ser equiparados a pirâmides financeiras;

(2) tanto o “regime de medidas econômicas moderadas”, quanto o “hodierno capitalismo bursátil” “[...] se pode sustentar durante aproximadamente uma geração, mas não por um período muito mais longo do que isto”. Assim, o “hodierno capitalismo bursátil” se equipara a uma pirâmide financeira. Entretanto, como antes vimos às pirâmides financeiras têm um prazo de existência limitado. Consequentemente, o “hodierno capitalismo bursátil” tem um prazo de existência limitado.

Trader anônimo disse...

Texto 3 (colamos no blog do Dr. Medeiros

Anexo "6.2"


Adicionalmente, iremos sustentar que a expressão, agora reescrita como “[...] o PREÇO de um ativo líquido detido por um investidor depende do comportamento de outros que detêm o mesmo ativo”, tem seus fundamentos na expressão:

“[...] um compromisso implícito por parte da comunidade financeira como um todo de manter a totalidade dos títulos no longo prazo.” (18)

Assim, “[...] um compromisso implícito por parte da comunidade financeira como um todo de manter a totalidade dos títulos no longo prazo”, nada tem a ver com a inteligência contida nos conceitos de “valor intrínseco” e/ou “mercado eficiente”, antes mencionado.

Consequentemente, a conclusão acima é mais um indício que permite-nos equiparar o “hodierno capitalismo bursátil” a uma “pirâmide financeira”.

Como conclusão de termos demonstrado por meio das respostas encontradas nos anexos "4.1", "4.2", "5.1" e "6.2" que o "hodierno capitalismo bursátil" se equipara a uma "pirâmide financeira" é lícito concluirmos que tal instituição social tende a deixar de existir. Consequentemente, os últimos a venderem suas ações são os que mais perdem.

Questionamento (7)

Adicionalmente, vamos a seguir nos propor a responder o questionamento (7). Neste sentido, os seguintes fragmentos de texto:

Anexo "7.3"

[...] Deste modo, ao lermos e interpretarmos o fragmento de texto acima, mormente a expressão “a geração de caixa da Vale zera”, não nos parece equivocado dizermos que: em “Novembro de 2015” o “valor intrínseco” da empresa Vale era algum número nas proximidades de zero, ou mesmo zero. No Gráfico “1”, antes visualizado, verificamos que o “preço de mercado” dos títulos de Vale encolheu aproximadamente 92% em dólares norte-americanos no período de Janeiro / 2011 à Fevereiro / 2016. Entretanto, após Fevereiro / 2016 iniciou-se uma aparentemente vigorosa recuperação dos preços de mercado dos títulos de Vale, exceto em alguns poucos meses após o acidente ocorrido em Brumadinho, em que ocorreram baixas. Em síntese, os títulos de Vale3 que eram cotados em Fevereiro / 2016 por R$ 9/ação são cotados atualmente (Julho /2021) em R$ 113/ação, como podemos visualizar no Gráfico “2”, abaixo disponibilizado.

, ou

Trader anônimo disse...

Texto 4 (colamos no blog do Dr. Medeiros)

[...] Prosseguindo em nossa abordagem, o preço do minério de ferro atualmente (Julho /2021) é de aproximadamente US$ 200 / tonelada. Entretanto, como vimos anteriormente na “Análise Vale 2”, existe uma “enorme sensibilidade da empresa Vale ao preço do minério de ferro”. Consequentemente, provavelmente devido à alta dos preços do minério de ferro nos últimos anos, os preços dos títulos de Vale igualmente apresentaram uma melhoria acentuada no mesmo período de tempo, como podemos visualizar no Gráfico “2”. Entretanto, encontramos na Internet menção de que tal alta nos preços do minério de ferro é atribuída à baixa dos estoques do referido minério. Assim, embora a alta nos “preços de mercado” dos títulos de Vale3 tenha sido acentuada de Fevereiro / 2016 a Julho / 2021, iremos doravante sustentar que tal melhoria dos “preços de mercado” nos títulos de Vale3 não guarda uma correspondente melhoria nos “valores intrínsecos” da empresa Vale. Neste sentido, inicialmente devemo-nos recordar que a “hipótese dos mercados eficientes” não encontra sua comprovação na prática, como vimos. Assim, uma eventual recuperação dos estoques do minério de ferro provavelmente reconduzirá os preços do referido minério para menores preços.

Anexo “7.4”

Por seu turno, não nos parece equivocado sustentarmos que os preços dos títulos de Vale igualmente vão tender para menores preços.

Permite-nos sustentar tal conclusão o seguinte fragmento de texto encontrado na literatura técnica:

[...] Em resumo, o custo de produção das unidades marginais é, em uma situação de oferta concorrencial, o preço fundamental em torno do qual o preço de mercado oscila, porque existem forças de compensação que conduzem os preços aos fundamentos. Essas forças resultam do fato de que a mercadoria pode ser produzida em uma quantidade que é a priori ilimitada. Se o preço de mercado exceder os custos de produção, a produção, após um período mais longo ou mais curto, eventualmente aumenta, o que diminui o preço. Se o preço de mercado for menor que o custo de produção das unidades marginais, a produção acaba sendo reduzida porque essas unidades fecham e o preço aumenta novamente.

[...] Mas o preço de mercado continua sujeito a uma inegável ancoragem "real". Isto é o que leva os profissionais do mercado e os analistas de "commodities" a dizer, "com toda razão", que "a física sempre acaba por impor sua lei". (34)

Permite-nos ilustrar tal conclusão o seguinte fragmento de texto que retiramos do conceito de “pirâmide financeira, antes mencionado:

“[...] Na falta de qualquer ativo real capaz de cobrir os rendimentos anunciados, Ponzi oferecia a seus primeiros clientes o capital aportado pelos que vinham depois.” (14)

Trader anônimo disse...

Texto 5 (colamos no blog do Dr. Medeiros)

Permite-nos complementar a linha de raciocínio que estamos tentando desenvolver o seguinte comentário encontrado em certo blog freqüentado por traders:

[...] Se você observar o gráfico de Vale há 6 anos atrás ele mostrava só um lado da MONTANHA ... Eu falava para uns caras na última corretora que eu trabalhei, SE VOCÊ TEM UM LADO DA MONTANHA FATALMENTE NO FUTURO TERÁ O OUTRO LADO. Não deu outra. Mas as pessoas são céticas só acreditam quando acontece. Tenho um amigo que foi meu cliente, e tem já há muito tempo, eu calculo 400.000 Vale5... Falei isso para ele, quase perdi o amigo... (maiúsculo nosso).

(comentário retirado do blog Investmania em 04/12/2014)

Em síntese, a leitura e interpretação dos fragmentos de texto, acima mencionados, permite-nos concluir que o “preço de mercado” dos títulos de Vale tende a entrar numa tendência primária de baixa, ou mesmo colapsar.

Anônimo disse...

O que aconteceu com o amigo Ari Zanella senhora Rosalina? O blog esta fechado à muito tempo...

Rosalina de Souza disse...

Caro Colega das 11:41,

Eu não sei o que aconteceu com o Ari Zanella, mas sei que ele estava em tratamento médico, e com certeza o maior motivo é o aborrecimento quando alguém, por algum motivo tenta mostrar o outro lado no nosso fundo de pensão e com isso mexe com os ânimos dentro do palácio de Cristal.

É duro mais é a realidade onde o poder econômico acaba calando as poucos vozes que tenta mostrar a nossa triste realidade.

A grande maioria de nós vive, dentro do seu mundo, com seus problemas sem muito importar com os problemas dos outros.

E o nosso GIGANTE ARI ZANELLA, sentiu a forte pressão, e com isso com certeza foi aconselhado a tocar a sua vida, sem trabalhar muito com o BLOG DO ARI ZANELLA, essa importante ferramenta a nossa Serviço.

Rosalina de Souza disse...

Junta nossa idade, Eu por exemplo já estou com 75 anos, problemas de saúde, e ainda vou querer o carteiro todo dia na minha porta trazendo notificações EXTRAJUDICIAIS, por falar a verdade, e ainda ser punida por isso, então, melhor viver o restante do tempo, administrar as finanças, para pelo menos por o pão de cada dia na mesa, até que Deus continue nos dando força e vivendo pela sua Misericórdia.

Anônimo disse...

Dona Rosalina
Excelente a sua manifestação. Esse pesadelo que atinge boa parte de nós não pode ser transferido a sua saúde, do seu Ari e ao dr. Medeiros. Vocês no meu entendimento já fizeram demais e colocar vocês na linha de frente todos os anos pra bater contra a Previ é injusto. Esse assunto "empréstimo simples" não tem solução nos moldes atuais e eles a mando do Banco do Brasil não vão fazer nada, pelo contrário, cada vez será mais proibitivo. Então cada um deve ver o que pode fazer. No início deste mês foi sancionada a Lei 14.181 que visa aumentar a proteção de quem tem muitas dívidas e não consegue pagá-las. Com certeza isso, agora com uma lei respaldando, vai trazer dores de cabeça ao trio BB-Previ-Cooperforte e outros que foram tomando conta e fragilizando a vida de muitos. Me lembro no início da década de 70 eu um guri fui fazer a minha posse no Banco. Me passaram um monte de papel pra assinar. Perguntei o que era aquilo. Isso é da Previ. Tu vai ter a tua aposentadoria, a Capec (seguro) e vai poder fazer empréstimo a juros baixíssimos e sempre renovar. A um tempo de 3 anos atrás pedi ao funcionário do Banco para atualizar o cadastro. Não precisa. As informações da Previ já se transferem ao Banco. Com isso pra mim fica claro que as duas Instituições tem claro o seu rendimento e ficam liberando crédito indiscriminado até lhe sufocar. E tá aí a situação de muita gente. Sem poder renovar mais esse ES e atolado no CDC do Banco do Brasil e com limite reduzido na Cooperforte. Isso acaba com a dignidade de qualquer pessoa.Temos que ter muita coragem e enfrentar. Mostrar quanto ganha, o que pode pagar aos credores e ficar com quantia para sua subsistência e sua família. Não adianta ficar nessa loucura de empréstimo pagando juros e tarifas. Pra mim o negócio é cortar na carne. Viver com menos mas se salvar. Um abraço grande pra Senhora. O que acha do meu pensamento?

Miro disse...

https://diariodopoder.com.br/brasil-e-regioes/mpf-acusa-cinco-por-fraude-e-envio-de-fundos-de-pensoes-ao-exterior

Miro disse...

https://valorinveste.globo.com/google/amp/produtos/previdencia-privada/noticia/2021/07/28/mpf-denuncia-cinco-pessoas-por-gestao-fraudulenta-em-fundos-de-pensao.ghtml

Rosalina de Souza disse...

Caro Colega das 10:53,

Acho que o Empréstimo Simples, na forma que é feito a sua concessão e com renovação por um curto período de tempo, ele é feito para ser pago na nossa morte, com a liquidação pelo FQM.

Fiz o meu Primeiro Empréstimo Simples, no ano de 2003, são 18 anos pagando as parcelas, e hoje tenho um saldo devedor próximo a 166.000,00. com prestações de pouco mais de 2 mil por mês, no inicio comecei pagando cerca de 444,00 em 48 meses, hoje são 2 mil em 120 meses.

Estou com 75 anos, logo vou ter o prazo menor para novas contratações, de modo que o assunto do EMPRESTIMO SIMPLES para mim é assunto encerrado, tendo como certo a sua quitação pelo FQM, possa ser que Deus me de vida e Saúde para ser uma longeva, mas isso só Deus é que sabe.

Enfim a situação é ir saindo dos Empréstimos, essa roda viva eu estou administrando a muito tempo, já saí de muitos empréstimos, uns já quitado totalmente, outros com execução na justiça, como é o caso da COOPERFORTE, e assim vamos caminhando, tentando sobreviver, com a nossa própria força, por muito tempo que não acredito mais em nada que venha desse trio chamado BB/CASSI/PREVI.

Eles fazem a sua parte, dentro dos regulamentos e normas, e isso nunca mais mudar, porque temos um sistema podre, um sistema onde o LOB Funciona com o JUDICIÁRIO, e nos sempre acabamos perdendo as nossas pretensões, com decisões que no final são DESFAVORAVEL A NÓS, A NOSSA CLASSE DE APOSENTADOS E PENSIONISTAS.

De modo que ainda temos alguns amigos, que estão lutando bravamente, no final tudo tem um só objetivo, somos vistos como RUBRICAS, DESPESAS, e isso é o que faz a roda viva girar, entra mandato de presidente, e cada vez a situação só piora, seja quem for os mandantes, então seja de viver se lamentando da vida, ainda somos comprados a muitos com bons rendimentos mensais, e temos que cada um com sua sabedoria e inteligência, usar das armas que temos para pagar as contas mais urgentes e continuar tendo saúde para viver o nosso resto de vida ao menos com DIGNIDADE.

O RESTANTE É TUDO IGUAL, E PODE TER CERTEZA QUE AINDA TEMOS MUITOS NO MEIO DE NÓS QUE PARA ELES ESTA MUITO BOM COMO ESTA, E PONTO FINAL.

Miro disse...

https://www.correiobraziliense.com.br/esportes/2021/07/4940423-presidente-do-flamengo-e-acusado-de-fraude-em-fundo-de-pensao-entenda.html

Miro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Miro disse...

O grande problema do ES se intensifica em períodos inflacionários, que estamos vivenciando atualmente, onde as prestações não cobrem os encargos que, uma vez capitalizados, aumentam o saldo devedor, eis que a esse se incorporam para sofrerem novas incidências jrs. e, por acréscimo, correção monetária, salvo melhor entendimento.Sim, com todas essas redundâncias e pleonasmos. Por isso migrei parte do meu ES para um CDC da vida, onde os valores das prestações são fixos e o saldo devedor isento de indexador e da inflação.