05 janeiro 2019

ESTOU DE VOLTA COM O BLOG!

Distanciar-se do noticiário a fim de manter certa sanidade mental pode ser a escolha de algumas pessoas. Eu, por vezes, faço isso. Mesmo sabendo, das minhas responsabilidades, admito que, em vários momentos, procuro não acompanhar tudo que é noticiado. E isso não tem nada a ver com a qualidade do conteúdo informativo, tem a ver com minha busca pessoal por não me irritar com determinadas notícias, evitar perder a esperança no país e, principalmente, minha fé nas pessoas e olha que tem gente que faz de tudo para tirar a gente do sério, existe um anônimo, que Deus tem que ter, misericórdia dele, porque é um sujeito hipócrita e malicioso que gosta de pregar a contenda, ainda não sei porque frequenta este espaço, pois ele se sente superior em tudo.

Esse tipo de atitude não representa alienação. Também não significa ignorar os acontecimentos. Muito menos se trata de um desconhecimento do que está acontecendo. Trata-se apenas de uma escolha para não alimentar sentimentos negativos que podem fazer mal e principalmente porque a grande maioria das pessoas que aqui frequenta vive apenas do seu benefício previdenciário, que em muitos casos, é insuficiente para a manutenção da sua vida e da sua família.

Quando a gente acompanha o noticiário, é possível ver repetidas vezes o mesmo assunto. E abordado de diferentes maneiras, com inúmeros comentários e repercussões do fato, quando se trata da Cassi, da Previ e do Banco do Brasil S/A, cada um tem a sua própria opinião, são vários blogs e muitos comentários do que se está certo ou errado, ou da sua visão dos acontecimentos do momento em questão, e sem sombra de dúvida a cada ano nosso poder de compra é suprimido com os descontos que são agregados, diversos e tende somente a piorar com o tempo, vista que nossa correção esta longe das nossas necessidades reais.
De certa maneira, todo fato novo e importante no nosso mundo, produz efeito semelhante: ele é repercutido por horas, dias, até semanas, discutido de inúmeras maneiras, dependendo do acontecimento, pode fazer com que a gente fique pensando naquilo, se aborrecendo, se entristecendo e até brigando com pessoas em função de algo que a pessoa disse, ou de como reagiu, sempre vai existir pessoas capazes de produzir conteúdo para dizer que esta certo, se o seu ponto de vista é o mais importante, que a sua situação é melhor ou pior que a do seu semelhante e assim caminhamos sempre no mesmo vazio, não temos acertado o alvo, e temos deixado muito a desejar em vários pontos, principalmente no nosso mundo em particular.

Com frequência, as pessoas são passionais, tomam partido, as redes sociais, em função da lógica dos algoritmos, potencializou a repetição de temas e versões que se assemelham, por outro lado, promoveu o silenciamento da diversidade, isso faz com que o consumo de informação, ao invés de esclarecer, cegue as pessoas, elas só deseja ouvir o que as agrada, o que faz bem ao seu coração, detesta ser contrariado, detesta ver a sua tese sem contestada, acha sempre que é o senhor da razão e com isto tenta denegrir a imagem das pessoas de bem, as pessoas que busca o melhor pelo coletivo, sem se importar com os louros, simplesmente porque acredita no ser humano como ele é sem mascara sem viver escondido no anonimato para ter coragem de dizer o seu pensamento sombrio e cheio de ódio.

Por isso, certo distanciamento é produtivo: mantém a sanidade mental e a isenção para um julgamento mais equilibrado do que ocorre no cotidiano, torna-se possível pautar nossa vida sem a lente do exagero, da repetição enganosa e das inúmeras versões que, na prática, são apenas isso, versões.
Estou de volta a batalha, renovada, reuni toda a minha família mais uma vez, pude estar presente junto dos meus, com alegria, satisfação, coragem de enfrentar os desafios do futuro, já passei dos 70 anos, não sou mais uma mocinha, mas agora é viver sempre preparada para o dia da partida, o dia em que o Criador fizer a minha chamada quero estar de Corpo, Alma e Espirito pronto.

Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.

FRASE: Fernando Teixeira de Andrade





11 comentários:

Goulart disse...

Seja benvinda, colega Rosalina, contamos com o seu preciosoblog, para recebermos opiniões e ficarmos dabendo das coisas , Tudo de bom...

Blog do Ed disse...

Rosalina
Fale.Queremos ouvi-la.
Edgardo

Dinaor tavares Huguenin Villela disse...

Rosalina, vc sempre foi e sempre será uma mulher guerreira, que jamais fugirá da luta.Deus te abençoe e te dê muitos anos de vida, pela luta incansável á favor dos menos favorecidos.Saúde paz e muita felicidade.

Camilo disse...

Bem vinda!!! Excelente seu blog, estava fazendo falta

Anônimo disse...

70 ? Novinha ainda, no máximo na meia idade.
Manda bala, cara Rosalina. Estamos juntos.

Adaí Rosembak disse...

Querida Rosalina,

Que bom a ter de volta.
Li e reli tudo que você disse.
Parece que você entra na cabeça da gente e consegue colocar para fora tudo o que pensamos.
Às vezes me sinto cansado, desencantado com tudo.
Nessas horas precisamos de um time para recarregar as baterias.
Também tenho aqueles chatos que me xingam, me atacam e me provocam.
Já me chamaram de babaca, fdp, isso e aquilo.
Às vezes, até rio.
Quanto aos que pensam diferente de mim, quando me conhecem me adoram.
Tenho comunas de coração.
Mas tem gente que de fato irritam.
Os piores, são os que perguntam quanto ganho, por quanto me vendo para escrever "certos artigos" e por aí vai.
Esses sim são uns fdp.
Mal sabem que gastamos uma nota, perdemos um tempão, entramos pela madrugada escrevendo um artigo e vamos acordar meio dia.
É trabalho pesado, isso sem contar os problemas de TI. Administrar um blog é barra.
Mas ponho para fora minha revolta com este mundo louco e tenho certeza que estou colaborando para um mundo melhor, para um futuro melhor.
E é indescritível o prazer de escrever no impulso da criatividade, quando você mergulha em uma matéria e sua mente cria e descortina novos limites, novas fronteiras.
Você não consegue parar.
Isto é algo de magnífico. Você viaja enquanto seus dedos dedilham o computador.
É um prazer incomparável.
Não há droga no mundo que dê esse prazer. Nem cocaína, nem morfina, nem LSD, nada é comparável a essa compulsão.
Realmente esse é um vício que, ao contrário das demais drogas não nos consome. Pelo contrário, essa compulsão nos enleva.Ela nos fortalece e nos leva a construir um mundo melhor.
Isso é vida e prazer.
Parabéns por ter voltado a este mundo maravilhoso.
Seu grande amigo blogueiro

Adaí Rsembak

Anônimo disse...

O Antagonista

MOURÃO EMPLACA O FILHO COM SALÁRIO DE 37,5 MIL REAIS NO BANCO DO BRASIL
SALVAR
Brasil 08.01.19 11:54
   
Antonio Hamilton Rossell Mourão, filho do vice-presidente Hamilton Mourão, foi nomeado assessor especial do novo presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, apurou O Antagonista.

Sua função anterior era de assessor empresarial, ganhava 12 mil reais. Agora, o filho do general receberá 37,5 mil reais por mês e ingressará no famoso Programa de Alternativas para Executivos em Transição (PAET), que garante bônus de ‘saideira’ para quem ocupou cargo no banco por dois anos. O valor desse benefício é de R$ 2 milhões, em média.

Adaí Rosembak disse...

Querida Rosalina,

Reli meu comentário. Por favor, em lugar de "time", coloque tempo mesmo.
Fui usar um anglicismo e deu nisso.

Adaí Rosembak

Anônimo disse...

Graças a Deus você voltou Rosalina, para nos ajudar nessa difício travessia.




Anônimo disse...

Cara Sra. Dona Rosalina,

Parabéns pelo retorno.

Quanto ao regresso/volta dos possíveis agressores, lixo neles.

Respeitosas e Cordiais Saudações

Ghost Writer

Anônimo disse...

Prezada Rosalina,
O seu retorno é uma boa nova neste começo de ano.Quanto aos indesejáveis é só ignorar e não publicar.
Sinta-se muito vem vinda!